Um monte de criança vivendo a juventude
Um monte de jovem que esqueceu de brincar
Tornam-se adultos que não sabem somar
Tornam-se pais que não sabem amar

Quais os valores estão em evidência?
Quantidade de pseudo-amores
É tudo só concorrência

Crianças concorrendo por atributos superficiais
O mais belo pode até escolher
Enquanto os outros se matam
Pra ter o mínimo de atenção

E quando vejo todos se importando
Com beleza, riqueza de superficialidade
Me dói o coração de ter escolhido o caminho errado

O caminho que não é valorizado
O caminho que ninguém liga
Basta ser bonito
Pra se ter tudo na vida

E por isso faço esta apologia
Com dor no coração
Quem sabe todos estejam certos
Menos eu que não sei desprezar uma boa qualidade

Quem sabe conversar?

Quem sabe seduzir?

Quem sabe divertir?

Hoje nada disso mais existe
É tudo tão fácil
Que não tem graça
Mas que bom que eu não sou assim

É o que deixo
Nada vai mudar
Faço então esta apologia ao desprezo

Continuem assim
E ninguém mais me convence
Que vale a pena investir
Meu tempo com quem prioriza a banalidade

Parabéns pessoas
Conseguiram todas
Me convencer que nada mais pode ser feito

Só continuem assim
Com este tipo de pensamento
Continuem assim
com essa apologia ao desprezo