Sou sozinho, rodeado de pessoas
Sou seu grito de agonia
Você pode me ouvir?
Sou o que todos mandam calar

Sou seu olho fadado a convencer seu coração
Eu sou você, e você não me entende
Sou a tentativa de explicar o que ninguém quer saber
Sou a importância que deixa de ser

Sou o aquele que você olha com desprezo
Sou a paixão não descoberta
Sou o amor descontinuado
Sou o pior entre os piores, e o melhor entre os melhores

Sou a mancha negra
Sou o emaranhado de fios
Sou a semicolcheia ambulante
Sou o peso na consciência

Sou alguém que só queria ser
Sou eu quem gostaria de ver-te bem
Sou eu que amo tudo e nada
Sou o certo que sabe fazer o errado

E agora me pergunto, quem sou eu?
E isso realmente importa?
E se viver for apenas viver, sem saber
Você sabe?